Parabéns a todos nós

Hoje, 30 de janeiro, comemora-se o Dia do Quadrinho Nacional.

Proposto pela Associação de Quadrinistas e Cartunistas do Estado de São Paulo, a data foi escolhida por ser o aniversário daquela que é considerada a primeira publicação em quadrinhos brasileira, sequencial e com um personagem fixo, “As aventuras de Nhô Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte” de Angelo Agostini.

A publicação teve sua estréia no ano de 1869. Oque a torna, também, uma das mais antigas publicações no mundo.

Imagem

Angelo Agostine, foi um desenhista italiano, que viria a fazer carreira como cartunista, jornalista e um dos principais artistas gráficos no Brasil, com publicações com viés abolicionistas e anti-clerical.

Viria a publicar em 1876 a Revista Illustrada, uma publicação satírica, política, abolicionista e republicana brasileira, de onde pode se notar muito do que viria a inspirar o cartum brasileiro, mesmo que de forma indireta.

A Formatinho aproveita a data, e parabeniza todos aqueles que, assim como um dia Angelo Agostine, diariamente se esforçam para que os quadrinhos no Brasil sejam reconhecidos como uma profissão.

Editorial Formatinho

Pessoas,
Estamos colocando em dia a leitura pós um FIQ, e por isso estamos meio parados.
Mas essa semana teremos muitas coisas novas, diretas desse que foi um dos maiores eventos de quadrinhos já executados no Brasil, e que segundo a editoria da Formatinhos, um divisor de aguás para o mercado.
Então sigam nos acompanhando.
Abraços da Equipe Formatinho

Image

FIQ 2013 – Valente Pela Panini

Image

Durante a FIQ 2013, temos o lançamento e sessão de autógrafos do terceiro arco de histórias do personagem criado por Vitor Cafaggi, Valente. Neste terceiro arco de histórias, chamado Valente por Opção, agora com distribuição da Panini Comics (oque significa encontrar Valente nas melhores e piores bancas), acompanhamos nosso herói, novamente solteiro e agora se aventurando na universidade.

E as boas novas não param por aí, a Panini aproveitou o lançamento desse terceiro arco e republicou os dois primeiros (Valente Para Sempre e Valente Para Todas).

Vitor Cafaggi, é um dos mais talentosos quadrinistas dessa nova geração, conseguindo unir seu traço delicado com histórias lindas, e que nem por isso deixar de retratar nelas aquilo que eu gosto de chamar de vida real.

Para conhecer mais do artista, visite o site Puny Parker.

E aguarde por uma resenha da trilogia (até agora) Valente aqui no Formatinho. 

Image

FIQ 2013 – Graphic MSP ganha Volume 2

Foi oficializado em um bate-papo, dos tantos que estão rolando na FIQ, que contava com as ilustres presenças de Maurício de Souza e Sidney Gusman, além dos artistas que ainda citaremos, que a belíssima coleção Graphic MSP (projeto genial que permite a diversos autores de dar sua leitura a personagens do universo de Maurício d Souza) vai ganhar um volume 2.

Novos autores juntam-se a duas firmações do Volume 1, que emocionaram com a mesma força, apesar de apresentarem histórias com temáticas extremamente diferentes.
Os veteranos são Danilo Beyruth e Cris Peter com seu Astronauta, e os irmãos Lu e Vitor Cafaggi e sua versão John Hughes da Turma da Mônica.

A eles, juntam-se outras 4 equipes criativas.

Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho contam uma história com Bidu. Marcela Godoy e Renato Guedes apresentam o Papa Capim enquanto Greg Tocchini, Davi Calil e Artur Fujita acompanham a Turma da Mata.

Fechando esse volume 2 temos uma história do Penadinho (ainda não sabemos se de toda turma ou solo) por Cris Eiko e Paulo Crumbim.

Aguarde por mais informações, e resenhas da revistas do volume 1 da Graphic MSP aqui na Formatinho.

Image

New 52 apresenta seu Lobo

Em uma semana de notícias bizarras da DC (Liga da Justiça Canadá, Ben Affleck como Batman no cinema), surge mais uma para fechar com chave de ouro.
Foi divulgado que o evento especial da DC Villains Month, vai ter uma edição dedicada a um dos anti-heróis mais populares da editora, o Lobo.
Até ai nada de especial, o grande problema foi o design desse novo Lobo, que contrariando o design do personagem clássico (que acaba sendo uma grande piada sobre aquilo que ele representa), agora o Lobo é mais um personagem qualquer, de formas lânguidas (no Houaiss voluptuoso, mórbido. no Popular, potencial personagem da Saga Crepúsculo).

Image

 

A muito eu não sou o publico alvo da DC e de grande parte dos títulos da Marvel, mas essa pasteurização de personagens mais alternativos (o Constantine em uma revista da Liga da Justiça, oficial ou não e agora esse Lobo), ao meu ver apenas afastam consumidores de quadrinhos de longa data, e não vai chamar o publico de Crepúsculo para os quadrinhos.

Acho que os números (os quadrinhos vendem 10% do que vendiam a 10 anos) falam por si.

Vou seguir com os independentes, e editoras menores que dão mais espaço aos autores, que é onde eu estou lendo as melhores e mais originais histórias.